terça-feira, 18 de outubro de 2011

Nota de esclarecimento referente à matéria intitulada “O Golpe Verde”, publicada pela Revista ISTO É na edição no 2188 de 14 de outubro de 2011

18 de Outubro de 2011

O Imaflora (Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola) esclarece que atua como certificador do sistema FSC (Forest Stewardship Council) no Brasil, representando o Programa SmartWood da ONG Rainforest Alliance, mas não representa o FSC no Brasil. Existem diversas entidades habilitadas a realizar auditorias de certificação FSC no Brasil e o IMAFLORA é uma delas.

Sobre a afirmação de que o Imaflora “distribui às empresas o selo verde”, é importante esclarecer que a certificação só é concedida à empresas que comprovem o cumprimento às rigorosas normas estabelecidas pelo FSC e reconhecidas internacionalmente. Para isso, às empresas certificadas passam por um processo de auditoria em campo, conduzido por técnicos qualificados e habilitados, os quais também realizam uma ampla consulta a partes interessadas locais. Maiores detalhes sobre o processo de certificação FSC e sobre os empreendimentos certificados podem ser encontrados nos site do Imaflora  e do FSC .

Com relação a empresa Triunfo, o Imaflora publicou uma nota em 03 de outubro de 2011, esclarecendo o processo de avaliação das questões relacionadas a abertura do ramal de acesso a Fazenda Ranchão II. Como informado anteriormente, essa área não faz parte do escopo de certicação da empresa Triunfo. A empresa possui um certificado FSC (código SW-FM/COC-001586) ativo para 7.497,00 hectares, onde cumpre com os critérios de certificação, conforme pode ser constatado no resumo público das últimas auditorias de campo.

Em relação a Floresta Estadual do Antimary (FEA), também citada na referida matéria, esclarecemos que trata-se de uma floresta pública sob gestão da Secretaria de Estado de Florestas do Governo do Estado do Acre. A certificação FSC da FEA foi concedida em 2005 após um longo processo de avaliação e consulta pública e, desde então, auditorias independentes são realizadas anualmente pelo Imaflora. As informações sobre estas auditorias são públicas e podem ser encontradas no site do FSC. A “mata do Limoeiro”, mencionada na matéria, apesar de estar situada nas proximidades da mesma, não faz parte da certificação da Floresta Estadual do Antimary.

Na qualidade de responsáveis pelas certificações FSC da empresa Triunfo e da Floresta Estadual do Antimary, o Imaflora encoraja partes interessadas a enviarem comentários sobre estas áreas diretamente para imaflora@imaflora.org, sempre que possível, apoiados em evidências concretas. Todos os comentários recebidos serão devidamente avaliados e respondidos publicamente pela equipe de auditores do Imaflora.

(19) 3429-0800
http://www.imaflora.org/

Um comentário:

  1. Muito importante o esclarecimento feito. Acho que as notícias que estão circulando não representam a verdade e apresentam cunho político e não sobre as práticas de manejo e sustentabilidade. Enquanto as atenções estão voltadas para o manejo florestal, que desempenha vários serviços ambientais: como manutenção da floresta, regulação do clima, identificação do proprietário e propriedade para monitoramento, renda e emprego, entre outros tantos, as discussões sobre modificação no código florestal , que prevê entre outras coisas a anistia para quem desmatou ilegalmente e a não recomposição das áreas de APP, estão em segundo plano.
    Infelismente o meio de comunicação (essas revistas) apresentam idoneidade duvidosa. O que eles fazem é um deserviço para o meio ambiente.

    ResponderExcluir

Compartilhe