sexta-feira, 19 de julho de 2013

Alimentação saudável melhora a saúde de funcionários de fazenda

Pedro Ronca





A Fazenda Alegria, propriedade produtora de café certificada pela RAS (Rede de Agricultura Sustentável) e localizada no município de Patrocínio/MG desenvolveu um projeto de melhoria da alimentação de seus colaboradores que gerou resultados expressivos em pouco tempo. A ação está alinhada e contribui para o cumprimento do Princípio 7  da Norma da RAS que trata das relações da fazenda com a comunidade interna e de entorno. A administração da propriedade deve, entre outros, promover mudanças que possam gerar impactos positivos sobre a saúde da comunidade.
Em um diagnóstico interno a fazenda identificou que a alimentação que os funcionários traziam de suas casas apresentava pouca variedade, baixa quantidade de frutas e verduras, muitos alimentos fritos e um alto consumo de suco em pó instantâneo artificial.
A iniciativa foi fornecer alimentação (almoço) para os funcionários fixos da propriedade. Como forma de oferecer uma alimentação fresca e saudável, facilitar o preparo e diminuir custos, foi instalada uma horta orgânica onde se produz as verduras e legumes e um pomar de frutas (goiaba, manga, abacate, acerola, pitanga, banana, mamão, mexerica, limão, carambola). Além disso, um galinheiro gera um dúzia de ovos por dia e carne de frango. Uma pequena área é plantada com milho para alimentar as galinhas e com feijão para o refeitório. Os restos de vegetais da horta são também usados na alimentação das galinhas. Algumas vacas fornecem leite tanto para o refeitório como para os funcionários levarem pra casa.
O trabalho na horta é realizado de maneira coletiva. Os funcionários se revezam, em horário de trabalho, para manter a horta produzindo e podem levar pra casa parte do que é produzido. E todos levam constantemente. Desta forma além de melhorar a alimentação na fazenda, melhorou-se a alimentação na casas.
O cardápio oferece diariamente arroz, feijão, 1 a 2 verduras, frutas, suco natural e fritura apenas uma vez por semana. Não há cobrança pela refeição.
Sete meses após essa mudança foram realizados os exames anuais de saúde nos funcionários e o médico responsável notou grande diferença nos resultados e procurou a administração da fazenda para entender a razão. Foi observado significativa diminuição e melhora nas taxas de colesterol, gota, pré-diabetes, e diabetes de maneira geral.
Desta forma, as providências tomadas pela administração da fazenda, visando melhorias na alimentação de seus funcionários, juntamente com a certificação atinge sua missão, entre outras, de zelar pelo bem-estar social das pessoas envolvidas no processo produtivo e de promover melhorias. Com criatividade e trabalho comunitário a fazenda promoveu um impacto positivo na educação alimentar não só dos funcionários, mas de suas famílias. A satisfação dos funcionários é aparente e assim realizou uma ação de melhoria na saúde e qualidade de vida de seus colaboradores.

Pedro Ronca, Engenheiro Agrônomo, Produtor Rural. Atua como auditor do Imaflora desde 2007. Possui curso de Especialização no Agronegócio Café pelo FIA/Pensa e Master in Coffee Economics and Science Ernesto Illy.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe