terça-feira, 14 de outubro de 2014

CACAU FINO MOVE A ECONOMIA DA FLORESTA EM SÃO FÉLIX DO XINGU



Fonte: Boletim nº 1 do Projeto Florestas de Valor


A produção de cacau está ajudando a mudar a face de São Félix do Xingu, no sul do Pará. Apesar de ter na pecuária sua base econômica, o cacau é alternativa que coloca o futuro da região nas mãos de pequenos agricultores. A ponto de a lavoura cacaueira começar a deslocar o eixo do desenvolvimento regional.

Na região desde 2010, os técnicos do IMAFLORA colaboram para essa mudança. São 32 famílias de pequenos agricultores amparadas por iniciativas como o projeto Florestas de Valor. O trabalho na região se dá em parceria com a CAMPPAX – Cooperativa Alternativa Mista de Pequenos Produtores do Alto Xingu a ADAFAX – Associação para o Desenvolvimento da Agricultura Familiar do Alto Xingu.

Com sistemas agroflorestais, o cacau é plantado à sombra de outras espécies que ajudam a recuperar áreas degradadas. O cacau recompõe a paisagem nativa, favorece a regeneração da floresta e a recuperação de fontes de água limpa, ao mesmo tempo em que gera significativa renda ao agricultor familiar.

Estabelecer e fortalecer os elos dessas cadeias são parte do trabalho do IMAFLORA na região. Com a cultura cacaueira que floresce em São Félix, as grandes indústrias começam a se aproximar. E elas querem grande quantidade de matéria prima de qualidade levando em consideração também aspectos ambientais e sociais envolvidos na produção.

No ano passado, o cacau dos agricultores hoje atendidos pelo projeto Florestas de Valor passaram pelo crivo de testes profissionais feitos pela Indústria Brasileira de Cacau – IBC e Cacau Show. Aprovado como um cacau de Tipo 1 – destinado à fabricação de chocolates finos –, o produto ganhou ainda mais destaque na vitrine nacional e internacional. Há bons negócios no horizonte. A cooperativa comercializa por safra em média 1500 toneladas de cacau e este ano já se comprometeu em entregar 150 toneladas de cacau tipo I para a IBC. O negócio renderá até o final da safra cerca de R$ 1 milhão para os agricultores.

Para conferir a primeira edição do boletim na íntegra, clique aqui.

_________

Sobre o projeto Florestas de Valor
O projeto Florestas de Valor existe para fortalecer as cadeias de produtos florestais não madeireiros, disseminar a agroecologia e conservar a floresta em três regiões do estado do Pará: na Calha Norte do rio Amazonas, na Terra do Meio e no município de São Félix do Xingu. O projeto apoia a implantação de sistemas produtivos responsáveis, conecta extrativistas e empresas na lógica do mercado ético e busca sensibilizar a sociedade para o consumo consciente de produtos florestais e para a conservação dos recursos naturais. Desde 2013, o projeto Florestas de Valor tem o patrocínio da Petrobras, como parte do Programa Petrobras Socioambiental, um dos instrumentos da política de responsabilidade social da companhia. Saiba mais em www.imaflora.org/florestasdevalor


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe