quarta-feira, 29 de junho de 2011

6ª Assembléia Geral FSC - Notícias - 28/09 (parte IIII)

FSC e as florestas: um longo caminho a percorrer

Na Assembléia Geral deste ano, existem dois desafios principais: em primeiro lugar, garantir o fechamento do ciclo de compromissos assumidos em Cape Town. Segundo, como avançar, não sobrecarregando o sistema e permanecer focado nas melhorias mais críticas.
A Assembléia Geral realizada em Cape Town em 2008 criou um volume enorme de trabalho para o FSC focar, e com a aproximação dessa Assembléia Geral, houve uma corrida em direção as moções aprovadas - às vezes com sucesso, outras vezes não. A pergunta geral permanece: Como o FSC pode expandir de maneira eficaz a cobertura a florestas em todo o mundo?

Avançar com a certificação modular
Dez anos atrás, alguns grupos começaram a trabalhar com sistemas passo-a-passo (modular) para certificação florestal (por exemplo, GFTN, SGS, Rainforest Alliance e ProForest). Rainforest Alliance e outros colaboradores de longa data como o Imaflora (Brasil) e o Nepcon (Europa e Rússia) tem trabalhado com empresas, pequenos produtores e comunidades; entretanto, não há suporte global suficiente para isso e o FSC tem o poder para mudar essa realidade. Hoje, nós ainda não temos um endosso formal do FSC à essas ferramentas de certificação “modular" e uma enorme lacuna deve ser sanada. É fundamental que o FSC esteja por trás disso.

Expandir a certificação florestal de madeira controlada
Nos últimos três anos, a Rainforest Alliance tem tentado propagar os padrões de manejo florestal de madeira controlada (FSCSTD- 30-010). É uma abordagem muito mais robusta do que as avaliações de risco para lidar com madeira controlada no nível da floresta, principalmente, quando há conflitos na floresta. Um movimento a partir da última Assembléia Geral reforçou isso, mas hoje a utilização da norma permanece pequena (Apenas 19 certificados existem a nível mundial e 4 certificadoras envolvidas). Considerando-se o desafio de credibilidade que a madeira controlada enfrenta e a necessidade de avanço para o FSC Modular, o uso mais agressivo dos padrões para mandeira controlada parecem fundamentais.

Fortalecer a garantia da legalidade
FSC tem a oportunidade de contribuir solidamente para enfrentar os desafios da legalidade no mercado mundial de produtos florestais. Para alcançar isso, precisamos avançar com os Princípios e Critérios que efetivamente lidem com a legalidade e adicionem mais rigidez nos procedimentos de cadeia de custódia; hoje, os empreendimentos com certificação de cadeia de custódia não estão excluindo rigoramente a potencial ilegalidade em suas linhas de produtos não-certificados FSC, algo que mina a confiança no sistema FSC. Muitos interessados ??assumem que qualquer empreendimento com certificado de cadeia de custódia FSC poderia comercializar somente produtos de origem legal, mas isso não é seguro.

Focar na valorização dos não-madeireiros
Ferramentas FSC podem ser usadas para aumentar a rentabilidade das florestas onde a conservação, os produtos florestais não-madeireiros ou os serviços ambientais são os principais objetivos. Explorando o FSC como uma ferramenta para garantir a valorização dos produtos florestais não-madeireiros pode nos ajudar a resolver os problemas das florestas e a necessidade das comunidades, em todo o mundo.

Acabar com os padrões interinos
Finalmente, o FSC deve eliminar a confusa situação com diferentes padrões interinos desenvolvidos por diferentes organismos de certificação em um mesmo país. Padrões interinos desempenharam um papel crítico no passado para que o FSC chegasse aonde está, mas a mudança precisa acontecer, de acordo com as moções das duas assembléias passadas. Muito se fala do fato de que o FSC tem "apenas" 10% das florestas comerciais do mundo certificadas, mas seu impacto se estende muito além disso. O movimento do FSC está afetando muitas outras florestas através de políticas de compras que estão estimulando produtores florestais a melhorarem, investidores a exigem o FSC, e a incorporar os valores FSC (tais como: direitos indígenas, alto valor de conservação, consentimento livre, prévio e informado) em novas iniciativas como REDD. No entanto, ainda há muito a ser feito e o sistema precisa ampliar sua cobertura. As medidas apresentadas acima são parte da solução para FSC.

Richard Z. Donovan, Rainforest Alliance Vice-Presidente Sênior e Vice-Presidente da Divisão Florestal

Fonte: NEPCon

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe