terça-feira, 28 de junho de 2011

6ª Assembléia Geral FSC - Notícias - 28/06 (parte III)

Biotecnologia, madeira e carbono são avaliados em assembleia do FSC

O segundo dia de atividades oficiais da assembleia-geral do FSC, aqui em Kota Kinabalu, Malásia, foi dedicado inteiramente à negociação das 56 moções. As moções são propostas de alteração no sistema, que podem ser referentes ao estatuto, padrões ou políticas de certificação. Uma moção precisa ter o apoio da maioria em cada uma das câmaras (ambiental, social e econômica) para ser aprovada. Isso demanda muita habilidade de negociação pois, do contrário, a moção corre sério risco de ser rejeitada.

Os três principais temas em pauta são:
Biotecnologia: representantes de empresas brasileiras apresentaram uma moção para que o FSC inicie uma discussão sobre as novas tecnologias na área de biotecnologia e explore as oportunidades e riscos da adoção de organismos geneticamente modificados (OGMs). É um tema polêmico, que envolve posições apaixonadas e tem demandado muita negociação para que avance.

Madeira controlada: há uma percepção geral, nas três câmaras, de que as políticas de madeira controlada e uso do selo FSC-misto necessitam de melhorias para garantir a credibilidade do sistema no mercado. Este é o tema que tem envolvido o maior número de membros nas diferentes câmaras e tem demandado horas e horas de negociação. Por um lado, ambientalistas e movimentos sociais demandam maior controle, especialmente no que se refere à avaliação regional de risco e ao programa de verificação que as empresas têm de implementar para assegurar a fonte controlada de parte da madeira adquirida. Por outro lado, qualquer redução radical na possibilidade de uso de madeira controlada pode colapsar o sistema por falta de produto no mercado.

Carbono e mudanças climáticas: o Grupo de Trabalho de Carbono, após um ano e meio de discussão sobre o tema, trouxe à Assembleia duas propostas de moções para incorporar a questão de carbono nas políticas e padrões de certificação FSC. Outras duas moções sobre este tema foram apresentadas por outros membros. Ao mesmo tempo em que há consenso de que este é um tema importante e que o FSC pode cumprir com um papel fundamental no combate aos efeitos das mudanças climáticas, há bastante rejeição em incluir isto como um critério mandatório no sistema, já que muitas empresas certificadas não têm intenção de se beneficiar dos mercados de carbono. Há também grande preocupação sobre a associação do FSC com sistemas de certificação de carbono que não sejam sérios, podendo causar um impacto à imagem e reputação do FSC.

As negociações prosseguem amanhã durante todo o dia para que possam ser apresentadas as versões finais das moções a serem submetidas à votação em plenária. Grandes avanços já foram conquistados, mas ainda há algumas arestas a serem negociadas. Se não houver consenso, a proposta é rejeitada. Todos aqui sabem disso e estão fazendo o possível para conseguir chegar ao mínimo denominador comum.

Maurício de Almeida Voivodic (especialmente para Sociedade Sustentável)

Fonte: Sociedade Sustentável

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe