terça-feira, 23 de agosto de 2011

Sustentabilidade nos negócios

No dia 5 de junho, Dia Internacional do Meio Ambiente, os jornais impressos estavam repletos de propagandas de empresas que buscam, de todas as formas, associar seu nome a questões ambientais e de sustentabilidade.

Esse fato traz imediatamente duas impressões: a primeira é que as questões ambientais, e em especial a palavra “sustentabilidade”, se tornaram jargões comuns às agências de
publicidade, que procuram associar atividades de diversas naturezas a uma demonstração (frouxa) de sustentabilidade empresarial. A segunda, causada pelo volume de propagandas e pelo calibre das empresas anunciantes, diz respeito à
constatação de que esse tema veio realmente para ficar. Não parece mais ser possível ao mundo dos negócios não se envolver com sustentabilidade.

Entre o desencanto com propagandas vazias e o otimismo em perceber que a temática só tende a crescer, existe o fato de que tornar uma empresa mais sustentável, reduzindo seus impactos ao planeta e à sociedade, é um desafio enorme que não conta ainda com receita de bolo ou metodologia científica.

Neste beco sem saída, resta às empresas aprenderem fazendo. Ou observar as empresas pioneiras, que se lançaram nessa jornada há quase uma década. A boa notícia é que algumas delas não só demonstraram viabilidade econômica ao adotar medidas
concretas de sustentabilidade, como também estão assumindo a liderança em alguns setores, demonstrando faturamento superior aos seus concorrentes que ainda não
assumiram o “custo improdutivo” desse tipo de investimento.

Tampouco podemos pressupor que os consumidores brasileiros estejam alienados a essa questão, ou não tenham interesse ou inteligência para separar o joio do trigo. Na medida em que ações reais em sustentabilidade aparecem nos mercados, o consumidor certamente opta por esse produto em relação ao vizinho, que não tem nada mais a mostrar do que uma mera propaganda.

Mauricio de Almeida Voivodic – Mestre em Ciência Ambiental pela Universidade de São Paulo Secretário Executivo do Imaflora – Instituto de Manejo e Certificação
Florestal e Agrícola (http://www.imaflora.org/)

Fonte: Gazeta do Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe