terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Florestas nacionais administradas por empresas privadas, no Pará, querem a certificação socioambiental para suas áreas



Imaflora, órgão responsável pela auditoria, convida interessados para reunião pública sobre o tema dia 23, em Oriximiná – PA.


Serviço da reunião pública:

Dia 23, às 19h30, na Casa de Cultura de Oriximiná, Travessa Ângelo Augusto, 832, Oriximiná – PA.

No dia 21 de janeiro, uma equipe multidisciplinar do Imaflora – Instituto de Certificação Florestal e Agrícola – chegará ao município de Oriximiná, no interior do Pará, para dar início à auditoria socioambiental das duas glebas da Floresta Nacional do Saracá-Taquera, administradas por empresas privadas e que são candidatas à certificação FSC (Forest Stweardship Council).

Como parte da auditoria, irá ocorrer uma reunião pública, no dia 23 de janeiro, às 19 horas, na Casa de Cultura de Oriximiná, para ouvir a população sobre a forma com que as duas empresas, concessionárias das áreas, as empresas EBATA Produtos Florestais Ltda. e a GOLF Indústria, Comércio e Exportação de Madeiras Ltda., se relacionam com a comunidade e manejam a floresta. Além disso, será feita a avaliação de campo nas duas glebas, que somam cerca de 50 mil hectares, para verificar se os critérios socioambientais para que as áreas sejam certificadas são cumpridos pelas empresas.

Certificação – A certificação FSC é concedida a partir de um minucioso processo de auditoria, no qual a empresa candidata deve comprovar que suas práticas estão aliadas a uma gestão responsável dos recursos naturais (como a conservação da biodiversidade local, das matas nativas, dos recursos hídricos, tratamento digno aos trabalhadores fixos e temporários, garantindo o cumprimento da lei trabalhista, promovendo benefícios extensivos à comunidade, entre outros pontos). Da mesma maneira, deve garantir o respeito à cultura e à atividade econômica praticada pela população tradicional que vive na floresta e no seu entorno. 

A equipe do Imaflora estará na região de Oriximiná - até o dia de 25 de janeiro, mas as manifestações a respeito podem ser encaminhadas a qualquer tempo, mesmo depois de terminada a auditoria pelo endereço eletrônico consultapublica@imaflora.org. Todas as observações feitas serão analisadas e respondidas.

Pará- Desde a edição, em 2006, da Lei de Gestão de Florestas Públicas,  que disciplinou a utilização dos produtos madeireiros, não madeireiros e da prática de serviços em Unidades de Conservação, a demanda pela certificação tem crescido. O Pará lidera a lista de empresas interessadas, com a certificação pioneira de uma gleba na Floresta Estadual Mamuru-Arapiuns, , além dos dois processos de auditoria em curso. A outra área certificada fica em Rondônia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe