quinta-feira, 14 de novembro de 2013

IMAFLORA® apresenta trabalho sobre pecuária sustentável, em evento paralelo à COP de Varsóvia



No dia 16, sábado, das 14h às 16h (horário da Polônia), Marina Piatto, engenheira agrônoma e responsável pela Iniciativa Clima e Agricultura, do IMAFLORA, apresenta no Global Landscape Forum, evento paralelo à COP 19, na Universidade de Varsóvia, Polônia, um estudo sobre a pecuária sustentável, baseada no caso das Fazendas São Marcelo, no Mato Grosso.
A mesa ”Managing landscapes for food, fuel, fiber and forests: innovative approaches in a time of food insecurity and climate change”, da qual fará parte, foi selecionada para transmissão ao vivo. A apresentação poderá ser acompanhada aqui.
Localizada no Mato Grosso, em uma região de transição dos biomas Amazônia e Cerrado, a São Marcelo é produtora de gado de corte e foi a primeira a conquistar a certificação da Rede de Agricultura Sustentável, no mundo.
Essa certificação contribuiu para estimular a cadeia de processamento e comercialização da carne de origem certificada no Brasil. Para tanto, a unidade de Tangará da Serra, do frigorífico Marfrig, também foi certificada, mantendo assim a rastreabilidade do produto até o consumidor final.
Atualmente é possível comprar carnes, identificadas pelo selo Rainforest Alliance Certified™ no supermercado Carrefour, na cidade de São Paulo, e interior do estado.
De acordo com o estudo, a expansão da certificação da pecuária brasileira é fundamental para garantir melhores praticas agrícolas no campo, o bem- estar animal, o respeito aos trabalhadores rurais, evitar o desmatamento e reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Para atender a demanda por carne de origem responsável será necessário que toda a cadeia produtiva se articule nos próximos anos: produtores, indústria, varejo, consumidores, governos e toda a sociedade civil precisam reagir para que a pecuária brasileira alcance padrões internacionais de sustentabilidade. 

O trabalho identifica oportunidades promissoras para o setor, a partir da intensificação da produção, combinada com boas práticas agropecuárias, que permitirá o crescimento do rebanho brasileiro sem novos desmatamentos e com baixas emissões.

O papel do governo será fundamental na melhoria da extensão rural, no reconhecimento da pecuária de baixo carbono, na promoção de incentivos ficais, na implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e no monitoramento do desmatamento.

O mercado deverá aumentar a demanda por produtos sustentáveis e a rastreabilidade será fundamental para garantir a origem destes produtos até o consumidor. 

Iniciativas promissoras vêm fortalecendo a cadeia da carne brasileira. O Programa de Boas Práticas Agrícolas (BPA), desenvolvido pela Embrapa, está chegando ao alcance dos produtores, o aprimoramento do Sisbov irá colaborar com a rastreabilidade de 100% do rebanho brasileiro, o CAR deverá ser implementado na íntegra em todo país, e o Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono) está ampliando sua abrangência e desenvolvendo sistemas de monitoramento de emissões. Com o alinhamento destes atores e iniciativas, o mercado exigirá o selo Rainforest Alliance CertifiedTM para reconhecer estas cadeias produtivas responsáveis e impulsionar o setor agropecuário para um patamar de alta performance em sustentabilidade no Brasil. 

Esse estudo contou com a participação do Gerente de Certificação Agrícola do IMAFLORA Luis Fernando Guedes Pinto e representantes da: University of Michigan; CGIAR Research Program on Climate Change, Agriculture and Food Security (CCAFS). A consulta à íntegra desse trabalho pode ser feita aqui.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe