quarta-feira, 29 de abril de 2015

Fazenda São Paulo é a campeã do Prêmio MPE Brasil

Voltada à cafeicultura, a propriedade mineira venceu o Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas na categoria Agronegócio

Fazenda é tocada hoje pela 4ª geração de cafeicultores de uma família de imigrantes italianos que está na cafeicultura há 110 anos (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)

A fazenda São Paulo, propriedade localizada no cerrado mineiro e voltada à produção de café, conquistou o primeiro lugar no Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas (MPE Brasil), promovido pelo Sebrae. A família Montanari levou o prêmio entre as 1.224 empresas inscritas na categoria Agronegócios. Marcelo Montanari é a quarta geração de cafeicultores de uma família de imigrantes italianos que está na cafeicultura há 110 anos. “O Marcelo representa a nova geração de cafeicultores do país. Mais antenado com o perfil da demanda, uso intensivo de ferramentas de gestão e processos produtivos mais modernos para produzir um café de altíssima qualidade e ter melhor condição no acesso a mercados”, diz Ênio Queijada, gerente de agronegócios do Sebrae Nacional.

A fazenda São Paulo fica em Patrocínio (MG) e é uma área nova, que começou na produção de café em 2008. Desde o início, Montanari focou no segmento de cafés especiais, aqueles  cafés arábicas que atingem uma nota superior a 80 pontos, segundo os critérios da Associação Americana de Cafés Especiais (Scaa). Em média, 70% do café colhido na fazenda São Paulo se enquadra como especial. Mas para chegar a este patamar, a família investiu em cultivares (das variedades catuaí, bourbon e mundo novo) que resultam em café de qualidade, em infraestrutura (despolpadores, terreiros e secadores de café novos), treinamento constante de funcionários e colheita 100% mecanizada.

Na gestão, a fazenda São Paulo é um bom exemplo de sucessão familiar. O pai, João Batista, montou um conselho chamado de senso familiar. O patriarca é o presidente do conselho e a diretoria, formada pelos herdeiros, responde a este conselho. Patrícia, a primogênita, é a diretora financeira; Marcelo é o diretor executivo e Roger, o caçula, o diretor de RH. A fazenda tem ainda mais três funcionários: um gerente operacional e dois gerentes de campo. Esta estrutura enxuta administra a fazenda São Paulo e outras duas propriedades cafeeiras.

Na opinião de Marcelo, o que mais pesou para a São Paulo vencer o prêmio foi a segmentação de mercado. “Temos o foco no cliente, em conhecer o mercado, saber o que estão consumindo, o que eles querem”, explica Montanari. Cada cliente tem uma demanda específica, o que fez a fazenda buscar várias certificações. “Temos a Rainforest Alliance, Utz Kapeh, Nespresso 3ª e a certificação de sustentabilidade da Starbucks”, diz Marcelo. “O MPE Brasil é um reconhecimento do trabalho que temos feito e também uma ferramenta de marketing com os nossos clientes”, finaliza Marcelo.

Prêmio MPE Brasil

Promovido pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC) e pelo Grupo Gerdau, com apoio técnico da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), o Prêmio MPE Brasil é realizado desde 2002. Os vencedores deste ano foram divulgados no final do mês passado, em Brasília. O número de participantes foi 50.918 empresas, sendo que mais da metade dos participantes (51,88%) são microempresas com um faturamento de até 360 mil reais por ano.

O setor de Comércio foi o campeão de negócios inscritos com 25.335 inscrições, o equivalente a 49,76%. O maior volume de empresas candidatas são representadas por cidadãos do sexo masculino, uma fatia de 57,96%. As regiões com maior número de participantes foram: Sudeste (17.464), Nordeste (14.038) e Sul (10.646).

A participação é gratuita e as inscrições podem ser feitas até o dia 31 de junho no site www.premiompe.sebrae.com.br ou em pontos de atendimento do Sebrae.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe