terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Cresce a produção da carne que diz sim ao meio ambiente

A pecuária sustentável vem ganhando novas adesões no Brasil e ampliando o leque de ofertas ao consumidor, que busca uma carne que não seja fruto de áreas desmatadas e que, ao contrário, tenha contribuído para a conservação dos recursos naturais, observado as regras de bem-estar animal e respeitado a dignidade dos trabalhadores envolvidos em toda a cadeia.  
 
A recente certificação socioambiental da fazenda Beef Passion, com seis mil hectares, distribuídos entre o interior de São Paulo e o do Mato Grosso, agrega um novo produto ao mercado de carnes identificadas pelo selo Rainforest Alliance Certified™: a proteína resultante de investimentos em genética, para atingir o atual padrão de qualidade, que abastece restaurantes voltados para a alta gastronomia. No varejo, os cortes estão disponíveis em algumas lojas, em diversas localidades do Brasil. “Há muita semelhança e sinergia entre nossa prática e o padrão da Rede de Agricultura Sustentável. Fizemos algumas adaptações para obter o selo, que sem dúvida, reconhece e valida em escala global os princípios que compartilhamos e a Beef Passion exerce na produção de carne bovina”, lembra Antônio Ricardo Sechis, fundador da Beef Passion.

O selo, com a estampa de uma rã na embalagem da mercadoria, identifica um produto que foi auditado  em todas as suas etapas, do nascimento do animal ao seu abate, incluindo a indústria, e que comprovou ter adotado boas práticas no campo,  nos segmentos ambientais e sociais. Entre os itens verificados estão o tratamento dispensado às nascentes, rios e demais recursos hídricos, ao solo, à biodiversidade e ecossistema da região. A alimentação saudável e vacinas dos animais, além das regras de bem-estar. E o respeito às leis trabalhistas, acesso à saúde, condições seguras, escolas para as crianças, e boas relações com as comunidades vizinhas. “Não tem produção sustentável no campo sem cadeias de valor sustentáveis", afirma Roberto Smeraldi, diretor, da OSCIP Amigos da Terra - Amazônia Brasileira.

Eduardo Trevisan Gonçalves, secretário executivo adjunto do IMAFLORA, comemora o que  considera um o crescimento significativo: ‘”A chegada da carne certificada ao segmento gourmet e ao de alta gastronomia é uma novidade. O consumidor já encontrava  a carne com a certificação da Rede de Agricultura Sustentável  no varejo, na rede Carrefour e no Sitio do Moinho, no  Rio de Janeiro. A carne usada pela  holandesa Zandbergen  no hambúrguer que distribui na Europa é brasileira”. Eduardo finaliza dizendo que 2016 deve ser um ano ainda melhor para o segmento, já que há novos empreendimentos interessados no processo. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe