sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Moratória da soja: método definiu o sucesso

O método, pré-definido lá atrás, com monitoramento, verificação, participação da sociedade civil e transparência nas informações, foi fundamental para o sucesso da moratória da soja, assinada em 2006 e deu origem ao Grupo de Trabalho da Soja (GTS), responsável pela governança do compromisso.

A avaliação é do gerente de projetos do IMAFLORA, Maurício Voivodic, que abordou o tema “Moratória da Soja como modelo para cumprimento de compromissos internacionais”, no seminário que debateu os 10 anos do acordo, promovido pelo GTS, em São Paulo: “a experiência brasileira influenciou alguns pactos internacionais, mas seria importante se conseguíssemos inspirar também o como implementá-los”, diz.

Em 10 anos, o desmatamento no bioma Amazônia caiu de 14 mil km2 para menos de 6 mil km2 e a possibilidade de estender esse compromisso ao cerrado, conforme anúncio do Ministério do Meio Ambiente, é bem recebida pelos movimentos socioambientais, que querem urgência na pauta e ações semelhantes em todos os biomas. “Por enquanto, a moratória da soja é um caso único. É preciso avançar”, afirma Maurício. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe