quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Vem aí a rede para fortalecer o extrativismo comunitário na Amazônia


 A semente foi plantada na Floresta Nacional do Tapajós, no oeste do Pará. Lideranças extrativistas daquele estado e do Amazonas realizaram um intercâmbio com o objetivo de criar uma rede de ajuda mútua para fortalecer o manejo comunitário da madeira, frutos, fibras e óleos da Amazônia Brasileira.

Angelo Ricardo Souza Chaves, engenheiro ambiental da Cooperativa Mista da Flona Tapajós (Coomflona), uma das mais vigorosas da região, com 203 cooperados, 15 funcionários e 12 anos de atuação, que esteve presente ao encontro, conta que muitas das dificuldades encontradas no dia a dia dos comunitários são resolvidas de forma isolada: “com a rede, queremos integrar os extrativistas para discutir problemas comuns, incluindo a busca por financiamentos para fomentar a cadeia produtiva e trocar soluções” diz.

A estratégia inclui ainda uma integração maior com o Observatório do Manejo Florestal Comunitário e Familiar, colegiado criado em 2016: “é importante valorizar os acúmulos de trabalhos anteriores nos diferentes contextos amazônicos, bem como as várias iniciativas coletivas que integram essa agenda” comenta Moisés Félix de Carvalho Neto, engenheiro agrônomo, especialista em agroecologia do Imaflora.

O intercâmbio foi autogerido e autofinanciado. Nesse primeiro encontro reuniu 15 comunitários, entre os quais, representantes dos quilombolas da floresta do Jamari, agricultores familiares do Projeto de Assentamento de Desenvolvimento Sustentável Paraíso, além da Coomflona. O Imaflora e o FSC® - Forest Stewardship Council® (Conselho de Manejo Florestal) contribuíram para a organização do encontro, que foi apoiado por outras ONGs e instituições parceiras, como o Idesam, o ICMBio, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alenquer, a Federação da Floresta Nacional do Tapajós; além de  representantes do Incra, do ICMBio, do Serviço Florestal Brasileiro, da  Climate and Land Use Alliance (CLUA) e Fundação Banco do Brasil como observadores.

Desse intercâmbio foi formado um Grupo Gestor que deve articular a pauta e o segundo encontro, ainda para esse semestre.

FSC® - N001877